Nos últimos nove anos, só uma coisa me dá mais prazer do que tomar um copo de leite com café no meio da tarde: falar sobre minha filha.

16177784 1142535675860358 8823628827733492346 o - SER CRIANÇA É NÃO TER MEDO DE FALAR E NEM DE SER (parte 1)

Esta menina chamada Lavínia, que me escolheu para ser seu pai, me surpreende a cada dia com sua espontaneidade e capacidade de se adaptar à minha diferença.

Listarei abaixo 7 diálogos curtos (ou 7 “drops”) que acontecem frequentemente entre mim e minha garotinha. Esses pequenos causos ocorreram a partir dos seus 4 anos de idade e estão em ordem cronológica. São verdadeiras “pérolas”, típicas do universo infantil que contemplam a inocência e o carisma de uma criança.

ATENÇÃO! O Ministério da Infância adverte:

Esta embalagem contém forte teor de fofurice!

Doce 01 - SER CRIANÇA É NÃO TER MEDO DE FALAR E NEM DE SER (parte 1)

Drops 1: Tentando entender o mundo da minha filha

Lavínia e eu brincando de “faz de conta”. De repente, ela disse baixinho no meu ouvido:

– Olha… faz de conta que você é meu pai, tá?

– Massss… Eu sou o seu pai!

– Eu sei! Mas hoje você não é meu pai! Entendeu?

– Ahhh! Agora entendi!

——- *** ——- *** ——-

Drops 2: Autoestima elevada desde cedo

Depois de quase uma hora se embelezando no quarto para ir a uma festa de aniversário, com a inspeção da mãe, Lavínia veio correndo até a sala e, muito tensa, começou uma pesquisa a respeito de seu penteado:

– Pai, meu cabelo tá lindo? Por favor, fala a verdade, heim!!!

– Tá lindo filha!

– Vô, meu cabelo tá lindo? Por favor, fala a verdade, heim!!!

– Deixa eu ver. Vira. Nossa!! Tá maravilhoso!!

Feliz com nossas respostas e parecendo mais aliviada, pois a rejeição foi 0%, disse:

– Fiz tudo sozinha, sabia?!

E voltou correndo pro quarto, gritando:

– Mãããnheee! Eu não falei que todo mundo ia gostar do meu penteado?!

Para uma criança, a opinião de duas pessoas representa “todo mundo”! Sabia?

——- *** ——- *** ——-

Drops 3: A importância de uma comunicação clara e assertiva

Ouvir músicas com minha filha no fim da tarde de um domingo frio e chuvoso, definitivamente não tem preço. Entre uma música e outra, ela soltou:

– Eu amo a Larissa Manuela, pai!

– Eu não. Mas sabe quem eu amo filha?

– Não. Quem?

– Você!

– Ah! Até eu!

– Como assim?

– Até eu amo você, pai!

– Ah bão! Achei que você estava se referindo a você mesma!

Ããnnn? Como assim pai?

– Deixa para lá filha. O importante é que a gente se ama.

——- *** ——- *** ——-

Drops 4: Critérios para a escolha de um restaurante

Num sábado à tarde:

– Filha, hoje à noite nós vamos jantar fora, com o Rubinho e a Susana.

– EEEEBAAAAAA!

– Onde você gostaria de ir?

– Qualquer lugar, pai. Eu só não quero ir num lugar feio e fedido!

– Então tá…

——- *** ——- *** ——-

Drops 5: Quem está olhando pra quem, afinal?

Logo após ter chegado da escola:

– Pai, o menino que senta atrás de mim, na minha sala, só fica olhando pra mim!

– E como você sabe que ele fica olhando pra você?

– Ué! Porque eu vejo!

– Então eu acho que é você que fica toda hora virando pra trás e olhando pra ele. Não é filha?

– É pai.

——- *** ——- *** ——-

Drops 6: Ããnnn?? Como assim?!

Também logo após ter chegado da escola, mas num outro dia:

– Pai, hoje briguei com minha futura amiga!

– Me explica melhor isso, filha.

– Agora ela é minha ex-futura-amiga!

– Ah tá.

——- *** ——- *** ——-

Drops 7: A preguiça

Começo da noite de um dia normal da semana. Após ter jantado, Lavínia deita no sofá, dá uma bocejada contaminante e, com aquela voz de moleza, diz:

– Ai gente! Eu tô com sono!

– Ah é filha? Tá cansada?

– Tô pai. É que hoje eu dormi muito mal na sala de aula.

Sem comentários.

——- *** ——- *** ——-

FIM… por enquanto!

IMG 20160728 163439123 - SER CRIANÇA É NÃO TER MEDO DE FALAR E NEM DE SER (parte 1)

COMENTÁRIOS




Pai de Rodinhas
A vida é da cor que a gente a pinta.